Bom Dia


Às vezes o silêncio é a melhor resposta para uma acusação falsa. Outras, temos que nos defender. Quando falsas testemunhas acusaram Jesus diante do Sinédrio, Ele “guardou silêncio” (Marcos 14:53-61). Defender-se teria sido inútil. Acima de tudo, Ele estava cumprindo a profecia de Isaías 53:7. Anteriormente em Seu ministério, Jesus repreendeu os fariseus, desafiando-os a provar que Ele havia pecado (João 8:13-59).

Um pastor demitiu-se da sua igreja porque alguns membros fizeram falsas afirmações sobre ele. Achou que defender-se não seria um posicionamento cristão, mas algumas vezes é. Contudo, nesse caso, aqueles que causaram problemas precisavam ser confrontados e suas falsas acusações refutadas. Ele deveria insistir para que se arrependessem ou enfrentassem a disciplina da igreja.

Não refutar pode permitir que aqueles que fazem algo errado continuem em seus maus caminhos, sem que sejam confrontados. Porém, se o Espírito de Deus nos orientar a permanecermos em silêncio, ou se quisermos simplesmente tentar recuperar o nosso orgulho ferido, então deveríamos refrear nossa língua. Você está sendo falsamente acusado? Se discernir que é inútil discutir, ou se o seu orgulho tiver sido ferido, peça a Deus por graça para calar-se. Todavia, se você se preocupa com aqueles que erraram e deseja ver a justiça feita, defenda-se!

adorasoul

adorasoul
adoração a Deus
Loading...

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

SOMENTE DEUS!!!

REALMENTE TEMOS VISTO UM CRESCIMENTO EM DESTRUIÇÃO GLOBAL, O QUE ESTA HAVENDO?
AS PESSOAS PROCURÃO RECURSOS EM TUDO, MAS ESQUECEM DE SEU CRIADOR!
NÃO ESTOU AQUI DIZENDO O QUE VOCE DEVE OU NÃO SEGUIR OU ACREDITAR, MAS ACREDITO FIELMENTE NO SENHOR JESUS CRISTO E TENHO UMA FÉ ESTREMA PARA DIZER QUE ELE É A ÚNICA SAIDA PARA UMA VIDA SEM RESPOSTA E SEM RUMO.
SAIA DA ROTINA OLHA PARA CIMA E CREIA EM UM DEUS MAIS ACESSIVEL DO QUE SE IMAGINA SEM INTERMEDIARIOS.
GIBA

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

OPINIÃO!!! SILAS MALAFAIA.

Editorial

Pastor Silas Malafaia rasgou o verbo no programa das 09:00 (Rede TV) e 12:00 (Band) sobre as manobras realizadas no Senado por baixo dos panos para converter o PLC 122/2006 na base da experteza. Citou a manipulação da enquete sobre "homofobia" no Senado no mês de novembro por funcionário engajado na "causa" agindo no surdina. Ele e o Senador Magno Malta cujo testemunho é notório pelos excelentes serviços prestados à sociedade brasileira ao combater com muita eficiência a praga da pedofilia que assola a nação. O Senador Malta trouxe uma informação bombástica. Disse ele que, se não fosse alertado pelo Senador Demóstenes Torres, na última sessão do Senado de 2008, antes do recesso, o famigerado projeto teria passado, na última votação da casa às 05:00 da manhã quando os seis senadores presentes já estavão muito cansados e e projeto entrou na pauta sorrateiramente.

O Pastor Silas Malafaia rompeu definitivamente com a maneira omissa que a maioria dos pastores assembleianos se comportam. Ele agem religiosamente, sem ter atuação política forte. Silas Malafaia não precisou de cargo político para expressar os anseios dos evangélicos, que representam de 20 a 25% da população mas não têm que os represente e dêm a "cara" para bater. Posso não concordar com tudo o que ele faz ou fala, mas tiro o "chapéu" pela sua atuação política firme contra as investidas contra aqueles que já se habituaram a discriminar os crentes chamando-os de retrógrados e o atraso da sociedade. De tanto repetir este sofisma, a sociedade passou a crer nisso, pois não tínhamos quem
Neste sábado o Pastor Silas Malafaia mostrou à sociedade brasileira que homens religiosos também possuem capacidade política. O Pastor e o Senador Magno Malta bateram de frente contra o PLC 122.

Há um velho sofisma criado (por descrentes) para cabrestear os evangélicos brasileiros. Ele é repercutido há muitas eras de que pastores e crentes devem se ater apenas à vida religiosa e não praticar atos políticos. Besteira! Crentes também têm o direito ao exercício pleno da cidadania.

E se esta cidadania não for exercida amplamente, os cristãos praticantes correm o risco de serem tangidos e governados por descrentes que há muito tempo vêm brandindo o bordão de "país laico, país laico", para enfiar goela abaixo da sociedade atitudes e comportamentos ofensivos e destrutivas da família. Bordão embrulhado em papel de ouro tão puro e moderno que só os inteligentes podem ver! É isso é o que penso do 122 é.

Por outro lado esses memsmos não se cansam de repetir para a sociedade que crentes são pessoas atrasadas, ignorantes, de classe baixa, que usam roupas fora de moda, cabelos compridos, gente pobre e bando de trouxas. Querem calar a nossa boca e roubar a nossa voz. E nós, passamos a ser discriminados há muito tempo por jornalistas da grande imprensa em geral (principalmente da TV Globo, Revista Veja, Jornal O Estado de São Paulo etc). e sempre ficamos caladinhos. Este silêncio têm desanimado os nossos filhos.

Pastor Silas pode ter muitos defeitos, mas tem sido a única autoridade religiosa neste país que tem dado a cara para bater - sempre. O Pastor Martin Luther King, se fazia ouvir na sociedade e no mundo pelos sermões que pregava.

Crente não tem "alergia" de gays, pois Jesus não discriminava ninguém e mandou os discípulos dele pregar o Evangelho do Reino à toda criatura, principalmente aos mais desprezados pela sociedade. É dever de todo pastor receber bem e tratar com respeito e amor a qualquer cidadão que entrar pelas portas de sua Igreja. Mas tenha paciência: aprovar uma lei que prescreve de dois a cinco anos de cadeia ao cidadão que criticar (pito) e reprovar atos de afetividade homossexual em lugares públicos - é o fim da picada. É como se de repente a exceção ditasse as regras.

E tem muito político "moderno" disposto a tudo para aprovar isto. Pois bem, se este jogo vai ser decidido pela forma política, então vamos exercer nossa cidadania - que vença a democracia. Ano que vem, vamos eleger nossos candidatos. O cristão que vota em candidato que passa quatro anos pisando na Bíblia e em 2010 vier distribuindo pratos de lentilhas com cara de "anjo", cuidado! Deus vai cobrar muito caro a sua rebeldia.

Não poderia terminar sem deixar de mencionar o nome do Senador Demóstenes Torres, que alertou seus outros seis colegas que iriam aprovar esse projeto sem saber, uma vez que foi posto SORRATEIRAMENTE em votação às 05:00 da manhã, depois de uma longa noite de votação, no final de 2008, último dia antes do recesso. Se não fora a mão de Deus e vigilância daquele Senador, a sociedade brasileira já estaria há um ano sendo puxada pelo cabresto por uma minoria cuja conduta não é aprovada nem pela Biblia nem pelas famílias brasileiras.

Intolerância, nunca! Vigilância, sempre!

PL 122 HOMOFOBIA.

Nos últimos 30 anos, o Movimento LGBT Brasileiro vem concentrando esforços para promover a cidadania, combater a discriminação e estimular a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

A partir de pesquisas que revelaram dados alarmantes da homofobia no Brasil, a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), juntamente com mais de 200 organizações afiliadas, espalhadas por todo o país, desenvolveram o Projeto de Lei 5003/2001, que mais tarde veio se tornar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006, que propõe a criminalização da homofobia.

O projeto torna crime a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero - equiparando esta situação à discriminação de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, sexo e gênero, ficando o autor do crime sujeito a pena, reclusão e multa.

Aprovado no Congresso Nacional, o PLC alterará a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, caracterizando crime a discriminação ou preconceito de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero. Isto quer dizer que todo cidadão ou cidadã que sofrer discriminação por causa de sua orientação sexual e identidade de gênero poderá prestar queixa formal na delegacia. Esta queixa levará à abertura de processo judicial. Caso seja provada a veracidade da acusação, o réu estará sujeito às penas definidas em lei.

O texto do Projeto de Lei PLC 122/2006 aborda as mais variadas manifestações que podem constituir homofobia; para cada modo de discriminação há uma pena específica, que atinge no máximo 5 anos de reclusão. Para os casos de discriminação no interior de estabelecimentos comerciais, os proprietários estão sujeitos à reclusão e suspensão do funcionamento do local em um período de até três meses. Também será considerado crime proibir a livre expressão e manifestação de afetividade de cidadãos homossexuais, bissexuais, travestis e transexuais.

Apesar dos intensos esforços e conquistas do Movimento LGBT Brasileiro em relação ao PLC 122, ainda assim, ele precisa ser votado no Senado Federal. O projeto enfrenta oposição de setores conservadores no Senado e de segmentos de fundamentalistas religiosos. Por este motivo, junte-se a nós e participe da campanha virtual para divulgar e pressionar os senadores pela aprovação do projeto.

Para ler o projeto de lei na íntegra, clique aqui.

Por quê a lei?

Ainda não há proteção específica na legislação federal contra a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero;
Por não haver essa proteção, estimados 10% da população brasileira (18 milhões de pessoas) continuam a sofrer discriminação (assassinatos, violência física, agressão verbal, discriminação na seleção para emprego e no próprio local de trabalho, escola, entre outras), e os agressores continuam impunes;
Por estarmos todos nós, seres humanos, inseridos numa dinâmica social em que existem laços afetivos, de parentesco, profissionais e outros, essa discriminação extrapola suas vítimas diretas, agredindo também seus familiares, entes queridos, colegas de trabalho e, no limite, a sociedade como um todo;
O projeto está em consonância com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, da qual o Brasil é signatário: “Artigo 7°: Todos são iguais perante a lei e, sem distinção, têm direito a igual proteção da lei. Todos têm direito a proteção igual contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação”;
O projeto permite a concretização dos preceitos da Constituição Federal: “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação [...] / Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”;
O projeto não limita ou atenta contra a liberdade de expressão, de opinião, de credo ou de pensamento. Ao contrário, contribui para garanti-las a todos, evitando que parte significativa da população, hoje discriminada, seja agredida ou preterida exatamente por fazer uso de tais liberdades em consonância com sua orientação sexual e identidade de gênero;
Por motivos idênticos ou semelhantes aos aqui esclarecidos, muitos países no mundo, inclusive a União Européia, já reconheceram a necessidade de adotar legislação dessa natureza;
A aprovação do Projeto de Lei contribuirá para colocar o Brasil na vanguarda da América Latina, assim como o Caribe, como um país que preza pela plenitude dos direitos de todos seus cidadãos, rumo a uma sociedade que respeite a diversidade e promova a paz.
Fonte: Projeto Aliadas – ABGLT

Verdades e Mentiras sobre o PLC 122/06

Desde que começou a ser debatido no Senado, o projeto de lei da Câmara 122/2006, que define os crimes resultantes de preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero tem sido alvo de pesadas críticas de alguns setores religiosos fundamentalistas (notadamente católicos e evangélicos).

Essas críticas, em sua maioria, não têm base laica ou objetiva. São fruto de uma tentativa equivocada de transpor para a esfera secular e para o espaço público argumentos religiosos, principalmente bíblicos. Não discutem o mérito do projeto, sua adequação ou não do ponto de vista dos direitos humanos ou do ordenamento legal. Apenas repisam preconceitos com base em errôneas interpretações religiosas.

Contudo, algumas críticas tentam desqualificar o projeto alegando inconsistências técnicas, jurídicas e até sua inconstitucionalidade. São críticas inconsistentes, mas, pelo menos, fundamentadas pelo aspecto jurídico. Por respeito a esses argumentos laicos, refutamos, abaixo, as principais objeções colocadas:


1. É verdade que o PLC 122/2006 restringe a liberdade de expressão?

Não, é mentira. O projeto de lei apenas pune condutas e discursos preconceituosos. É o que já acontece hoje no caso do racismo, por exemplo. Se substituirmos a expressão cidadão homossexual por negro ou judeu no projeto, veremos que não há nada de diferente do que já é hoje praticado.

É preciso considerar também que a liberdade de expressão não é absoluta ou ilimitada - ou seja, ela não pode servir de escudo para abrigar crimes, difamação, propaganda odiosa, ataques à honra ou outras condutas ilícitas. Esse entendimento é da melhor tradição constitucionalista e também do Supremo Tribunal Federal.

2. É verdade que o PLC 122/2006 ataca a liberdade religiosa?

Não, é mentira. O projeto de lei não interfere na liberdade de culto ou de pregação religiosa. O que o projeto visa coibir são manifestações notadamente discriminatórias, ofensivas ou de desprezo. Particularmente as que incitem a violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

Ser homossexual não é crime. E não é distúrbio nem doença, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Portanto, religiões podem manifestar livremente juízos de valor teológicos (como considerar a homossexualidade "pecado"). Mas não podem propagar inverdades científicas, fortalecendo estigmas contra segmentos da população.

Nenhuma pessoa ou instituição está acima da Constituição e do ordenamento legal do Brasil, que veda qualquer tipo de discriminação.

Concessões públicas (como rádios ou TV's), manifestações públicas ou outros meios não podem ser usados para incitar ódio ou divulgar manifestações discriminatórias – seja contra mulheres, negros, índios, pessoas com deficiência ou homossexuais. A liberdade de culto não pode servir de escudo para ataques a honra ou a dignidade de qualquer pessoa ou grupo social.

3. É verdade que os termos orientação sexual e identidade de gênero são imprecisos e não definidos no PLC 122, e, portanto, o projeto é tecnicamente inconsistente?

Não, é mentira. Orientação sexual e identidade de gênero são termos consolidados cientificamente, em várias áreas do saber humano, principalmente psicologia, sociologia, estudos culturais, entre outras. Ademais, a legislação penal está repleta de exemplos de definições que não são detalhadas no corpo da lei.

Cabe ao juiz, a cada caso concreto, interpretar se houve ou não preconceito em virtude dos termos descritos na lei.

Fonte: Projeto Aliadas/ABGLT

MEU AMADO !!! FILHO PRODIGO REFLITA.

FILHO PRÓDIGO

Quase todas as Igrejas falam sobre a volta do filho pródigo, isto é, daquele que saiu de casa, depois de ter usado e abusado de alguns recursos que seu pai lhe doou, pois no momento em que se encontrava sem dinheiro, não teve outra solução, senão a de voltar para seu lar. Mas, o que significa o filho pródigo? Por que tão grande festa familiar, tendo em vista o seu retorno, se foi um filho que tão preocupante aos pais? Qual a concepção real dessa historieta, e qual o efeito para a sociedade moderna, que precisa compreender a sua existência no contexto universal? O objetivo deste trabalho é proporcionar uma nova visão sobre o entendimento deste conceito, em uma tentativa de compreender a sociedade moderna quanto ao problema do filho pródigo, e como se pode contribuir para uma melhora da sociedade que passa por tantos desajustes no sentido moral.

Na sociedade moderna estão os mais diversos problemas sociais e econômicos, desde um simples furto a uma execução de um seqüestro, que envolve a busca de muito dinheiro, como se fosse uma inveja que tem adquirido, para manter uma vida faustosa sem as devidas condições de tal manutenção. Hoje em dia não se quer mais trabalhar. Entretanto, ter uma boa residência, carro do ano, ou novo, dinheiro no banco, e amigos ilustres, é o que sempre se deseja, porém não desprendeu o seu suor para ter esses melhores níveis de vida que tanto se almeja. É, neste sentido, que aumenta a cada instante, o ódio entre os irmãos, culminando com inúmeras mortes, simplesmente por causa de ganância que paira dentro de cada um, que não se conscientizou de sua inferioridade, e que deve ser banida a qualquer custo para o seu progresso espiritual.

A lenda do filho pródigo se inicia com aquele irmão que se desviou dos caminhos da seriedade, da caridade, do amor ao próximo, e da senda de pureza que DEUS delineou nos humanos para que vivessem felizes, e para sempre, no entanto, o homem por sua livre e espontânea vontade seguiu seu próprio rumo. E lá vai esta criatura trilhando o seu próprio caminho, sem conhecer seus próximos passos que, por desconhecimento, às vezes são falsos, sem condições de concerto pela própria pessoa que agora esconde seu rosto com vergonha de si mesmo. Ninguém quer reconhecer a maldade que está dentro de seu próprio interior, ao fugir de sua consciência, por conta da ignorância do bem, e da assistência negativa que não lhe abandona, devido as suas aptidões estarem em suas mãos, isto é, com cada um individualmente.

Na Bíblia Sagrada está esta historieta que relata a questão de um dos filhos de uma determinada família que saiu de casa, foi viver a sua própria vida, isto depois de usufruir das benesses das coisas materiais, depois, sem condições de viver com suas próprias mãos, voltou para casa, e foi recebido com grande festa. O filho que ficou, trabalhador, sempre foi honesto e obediente ao pai, não gostou daquele afago de seus genitores ao irmão que voltava, rebelou-se com aquela situação, pois não precisava tanta alegria e tanta pompa para com aquele que saiu de casa sem necessidade. O filho revoltado precisava também aprender que o irmão pródigo não é somente aquele que veio pedir arrego aos pais, por sua ignorância de não saber compreender os ensinamentos que foram dados, e que não entendeu o seu real sentido.

O espiritismo, da mesma forma comenta o significado da parábola do filho pródigo, entretanto, proporciona melhores condições de compreender quantos filhos pródigos existem na face da terra, precisando retornar ao seu pai, para dar continuidade a sua jornada na caminhada espiritual. Visto que a maioria dos seres humanos está no planeta de provas e expiações, é fácil de perceber que a ignorância do bem está claramente dentro de todos que ainda se locupletam na maldade, na inferioridade, e na maledicência de seu próprio desconhecimento. Pois, somente o retorno consciente à casa paterna fará com que se possa eliminar de dentro de cada um a arrogância, o orgulho, a inveja, o ciúme, e toda uma agregação de maldades que desviam os irmãos do caminho do amor, da paz, e da prosperidade.

A maldade está em todas as mentes, conduzindo a todos por um caminho muito difícil de retorno, e uma grande parte parece gostar de tal situação, que não faz nenhum esforço para compreender a sua ignorância, e tentar sair desse estado de coisas que não lhe traz nada de bom. Foi preciso que as Igrejas impusessem os seus ensinamentos de medo a tudo, para que somente assim, muitos não expusessem as suas inferioridades, devido ao pavor que está impregnado em sua mente, onde aqui e acolá se pratica um desses absurdos atos, cuja sociedade só lamenta. Não se deve tolher a índole de ninguém, mas tentar ajustá-la a uma sociedade de compreensão, de sapiência, e de verdadeiro amor em todos os sentidos, que o mundo inferiorizado ainda não sentiu, onde a transformação está dentro de cada um dos viventes da terra.

As dores e sofrimentos são decorrentes justamente das pessoas se encontrarem foragidas do caminho da verdade e da vida real, devido ao uso de drogas de diversos tipos, isto é, maconha, cocaína, craque, e muitas outras formas de desvios que o ser humano pode ter. As drogas e a prostituição constituem na modernidade, grandes males difíceis de serem contornados, por causa de não somente contribuírem para desviar os filhos de DEUS, que têm como objetivo trilhar pelo caminho da evolução, vivendo na paz e no amor. As drogas têm destruído muita gente, cujo sofrimento aumenta muito mais, quando não se conhece como viver a vida de filho pródigo que necessita se libertar das amarras inferiores para uma vida que ele pouco entende, e que necessita conhecer para o progresso, e auto-libertação.

Os filhos que se desviaram do caminho da retidão e do amor são muitos, mas como teria dito JESUS e seus prepostos, todos os seus filhos um dia chegarão à casa paterna, mesmo que esse tempo seja bastante longo, no entanto, a dor vai um dia conscientizar a todos de sua participação na construção do amor e da paz. Existem aqueles que usam plenamente os seus instintos na prática de crimes tidos como brutais, extremamente cruéis, e isto se pode observar nos jornais e televisões, aqueles hediondos que acontecem nos quatro cantos da terra. Esses amigos precisam ser alertados de seus atos de destruidores da humanidade que DEUS criou para viverem e sobreviverem aos ímpetos da ignorância da própria humanidade, cuja limpeza perispiritual da maldade é a volta do filho pródigo.

O filho pródigo é aquele que retorna ao seio da casa paterna, mas não somente por ter esgotado os recursos que levou dos pais para usufruto nos motéis, nas cervejarias, nas compras de luxuosidades, assim como em muitas outras formas de abuso que alimentam a inferioridade do ser humano que precisa se melhorar. O bom mesmo, é que o ser humano se conscientize, sem ter que sofrer as imposições da lei do progresso e do amor, para tentar compreender a vida real, que é uma conjugação do mundo material com o mundo espiritual, que muitos não conhecem claramente. Todavia, enquanto não se aproximar a sapiência espiritual com a convivência material, o homem procura sempre satisfazer as suas aptidões imediatas, esquecendo que a vida não é una, isto é, um momento de 60 ou 70 anos, mas que ela continua pós-morte, e pelos séculos.

Em verdade, a máxima do filho pródigo, deve ser traduzida como uma realidade do ser humano que mata sem piedade, e o requinte de crueldade é a tônica fundamental naqueles que só conhecem o ódio, a raiva, a ira, o desejo de praticar violência e exterioriza no primeiro que lhes aparece. Sabe-se que muitas pessoas possuem a impulsão pelo furto, pelo roubo, e pela maldade, pois, de maneira incontrolável terminam efetuando atos abominados pela sociedade que tem indícios de sentimentos que já é um prenúncio do amor. Quando já se tem esse indício é preciso cultivar com muita fé, com muita vontade de vencer as suas inferioridades, que devem ser demolidas a todo custo, e muitas vezes isto rende ao ser humano, muita dor e sofrimento, pois por mais que se adie, ninguém foge desta realidade.

Esses problemas caminham através dos séculos, e somente as reencarnações é que indicam claramente a situação psicológica e até mesmo comportamental do ser humano, que pouco compreende as suas dificuldades, como: o por quê se nasce em favelas, o por quê do impulso para a maldade que está imantada em cada um. Além destas maledicências, pode-se citar o ímpeto do machismo, as neuroses, as pessoas psicopatas, as patologias sociais, os homicídios, e muitas outras maneiras de impulso desequilibrantes que muitas pessoas passam a cada instante. Esses seres pensantes continuam a vagar por este mundo afora, a se locupletarem com as suas inferioridades, e precisando de ajuda, mesmo que seja de maneira indireta, por causa do seu desconhecimento da realidade boa do amor, do caminho da retidão, e de muita paz e felicidade.

Frente a isto, pode-se dizer que os filhos pródigos são todos aqueles que continuam desviados do caminho do bem, os carentes e necessitados que ainda sobrevivem se alimentando de toda sua fase animal irracional, porque ainda não adquiriram a sua independência para ter o seu auto-controle. São esses comportamentos animalescos que criam as doenças, inclusive, as que constituem os males do século, como a aids, o câncer, o ebola, e alguns outros que ainda não se conhecem com um nome determinado pelos cientistas da medicina. Os filhos pródigos são simplesmente a volta desses irmãos que se encontram desgarrados dos caminhos que DEUS criou para todos indistintamente, porém a sua volta deve ser sempre, e é comemorada com muita alegria, quando se conseguirá a libertação esperada por todos, e se terá o livre arbítrio individual pleno.

GIBA CRONICASSSSSSSS.

PESSOAL BOA TARDE!
QUERO FALAR A RESPEITO DE MUITAS IDEIAS NESTE BLOG. E PRECISO MUITO DE SUA OPINIÃO É SEMPRE BEM VINDO , DEIXE SEU RECADO QUE ESTAREMOS RESPONDENDO SEMPRE DENTRO DO POSSIVEL E DENTRO DA LUZ DA PALAVRA DE DEUS QUE É O PONTO ALTO DA NOSSA FÉ. NELE TODAS AS COISAS SÃO E NUNCA VÃO DEIXAR DE SER. OBRIGADO Q ESPERO QUE VCS CURTAM AS MUSICAS, ACEITO SUGESTOES TAMBEM.... ABRASOUL!!!!
ASS.GIBA

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

POR TUDO QUE ÉS...

QUEM NÃO LEMBRA DOS KENOLY BROTHER?
TIVE A OPORTUNIDADE DE CONHECELOS EM PORTO ALEGRE, UM EVENTO MUITO MARCANTE.
ELES SÃO OS FILHOS DE RON KENOLY, GRANDE MINISTRO DE LOUVOR , DIFICIL ALGUEM NÃO TER ESCUTADO OU CANTADO SUAS MUSICAS.
ESTA FOI UMA DAS ULTIMAS MUSICAS QUE ESTES DOIS IRMÃOS CANTARAM NAQUELA NOITE.
O IMPRECIONANTE FOI QUE APESAR DA BARREIRA DA LINGUA TODO O GINASIO ADOROU A DEUS NAQUELE INSTANTE, O ESPIRITO SANTO TRADUZIU TUDO...


Por causa de quem você é
Eu dar-lhe Glória
Por causa de quem você é
Eu te dou louvor
Por causa de quem você é
Eu vou levantar minha voz e dizer
Senhor, eu adoro você
Por causa de quem você é
Senhor, eu adoro você
Meu Jeová Jiré
Meu provedor
Jeová Nissi
Junte-se a Grande Vitória
Jeová Shalom
Meu Príncipe da Paz
E eu te adorar
Por causa de quem você é
E eu te adorar
Devido a que
E eu te adorar
Devido a que no segundo tempo
E eu te adorar
Por causa de quem você é

sábado, 28 de agosto de 2010

SOBRE ADORAÇÃO!!!!

DEPOIS DE TANTA DEMORA ESTOU TRAZENDO UM MATERIAL NOVO AI PARA OS QUE ACOMPANHAM NOSSO BLOG.....



Começamos o nosso domingo falando sobre adoração, mas como adorar sem ser adorador? Deus está procurando adoradores, mas adoradores verdadeiros e nesta noite, vamos estudar algumas características de um verdadeiro adorador, gostaria que você refletisse bem em cada uma dessas características, pois, tenho certeza de que ao buscar essas características em sua vida você se tornará um adorador melhor aos olhos de Deus:
1. Um verdadeiro adorador tem uma vida de oração: Quando falamos em adorar, falamos em nos humilharmos na presença do Senhor, mas muitas vezes queremos isso sem termos uma vida de oração, em João 16:23-24, está escrito: “Naquele dia nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo que tudo quanto pedirdes ao Pai, ele vo-lo concederá em meu nome. Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo seja completo”. Quando Jesus fala nessa passagem, Ele coloca uma condição para pedirmos, essa condição é que peçamos em seu nome, muitas vezes oramos e nem mencionamos o nome de Jesus, mas queremos receber, a questão de mencionarmos esse nome é pelo fato de Jesus ser o único caminho e se você não estiver o adorando, prostrado aos seus pés, você não obterá êxito, por isso, um verdadeiro adorador precisa ter uma vida de adoração, devemos entregar a Deus tudo em nossas vidas, mas isso só é feito através da oração.
2. Um verdadeiro adorador tem uma vida de testemunho que alegra ao Senhor: Muitas vezes queremos ser adoradores de púlpito, não adoramos além da porta da igreja, que tal nessa noite mudarmos nossa visão de adoração e passar a sermos verdadeiros adoradores? Ficamos adorando a Deus como os Fariseus que faziam tudo para mostrar uma adoração que não tinham, oravam em pé nas sinagogas e nas esquinas a fim de serem vistos, em Mateus 6:5 está escrito “E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.” Jesus queria que fizéssemos a diferença como adoradores, queria que realmente refletíssemos a Glória de Deus, que tal, nesse momento, você mudar o seu pensamento, e fazer também quando não está na igreja, aquela adoração linda que você faz aqui? Que tal sermos pessoas a honrar o nome santo de Deus? Deus te ama e quer mais de você.
3. Um verdadeiro adorador é conhecedor da palavra do Senhor (Bíblia): Você é conhecedor da Bíblia? Você tem buscado esse conhecimento? Ou tem feito uma vida de monólogo com Deus? Uma vez quando inquirido por alguns saduceus em Mateus 22, Jesus respondeu (V 29): “Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus;”, o problema é que se realmente não conhecemos as escrituras, realmente nunca poderemos ter nem noção do poder de Deus, mas com um verdadeiro adorador isso não pode acontecer, pois, você só pode adorar a Deus por algo que ele fez ou por algo que a sua fé permite vê-lo fazendo, sendo assim, compreendendo o poder de Deus, mas você aí que chegou pensando aqui ser um perfeito adorador, é um conhecedor da Bíblia? Quantas vezes você lê a Bíblia na semana?
4. Um verdadeiro adorador sempre busca a excelência na adoração: Em Ec. 7:12 está escrito: “ Porque a sabedoria serve de defesa, como de defesa serve o dinheiro; mas a excelência da sabedoria é que ela preserva a vida de quem a possui.”Preste bastante atenção no final desse versículo. Você tem buscado a excelência no que faz? Ou você acha que o que já aprendeu está de bom tamanho? Acha mesmo que esse seu melhor aí está agradando a Deus? Não é isso que Deus quer de você, querido, Deus quer mais, procure buscar mais, aprender mais, pois só assim você poderá estar agradando a Deus, não pare, mas siga buscando.
Concluindo: Ser adorador não é fácil, ser adorador é entregar nosso tempo, nossa disposição, nossa vida, tudo nosso a Deus, talvez isso não tenha sido percebido por você ainda.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Para tirar muitas duvidas..............

Resistindo às tentações

Ao ensinar que seus seguidores deviam “dia a dia” tomar sua cruz (Lucas 9:23), Cristo fez da resistência ao diabo (Tiago 4:7) parte fundamental do cristianismo. Biblicamente, “tomamos a cruz” quando resolvemos dar fim ao pecado em nossa vida. Sem essa determinação básica, não há conversão completa. O Senhor frisou bem essa questão: “E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:27). Se a nossa intenção de confessar o nome de Cristo é genuína, devemos apartar-nos “da injustiça” (2 Timóteo 2:19).

O que é de fato difícil é traduzir essa intenção da teoria à prática. Mas aqui, como em todas as demais áreas, somos auxiliados pelo exemplo do Senhor. “Para isso se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo” (1 João 3:8). Em sua morte, Cristo destruiu “aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo” (Hebreus 2:14) e, em sua vida, sempre frustrou a obra do diabo repelindo toda sedução que Satanás punha diante dele. Jesus foi em tudo tentado “á nossa semelhança, mas sem pecado” (Hebreus 4:15). Sua vida, portanto, pode servir-nos como um manual sobre como resistir ao diabo em nossas batalhas diárias com a tentação.

Nos evangelhos, não há incidente que melhor revele como Cristo lidou com o diabo do que a tentação no deserto (Mateus 4:1-11; Marcos 1:12-13; Lucas 4:1-13). Eu lhe recomendaria ler estes textos e, ao lê-los, para que possam resistir à tentação, lembrem-se do seguinte:

1. Não devemos desconhecer os expedientes do diabo. Douglas MacArthur disse certa vez: “Quanto mais soubermos acerca do inimigo, mais capacidade teremos de vencê-lo”. Da mesma forma, se quisermos resistir ao diabo, é essencial que saibamos como ele age (2 Coríntios 2:11). Os atos de Satanás traem suas táticas. Os métodos que usou (em vão) com Jesus, ele usará conosco. Uma vez precavidos, ficamos prevenidos.

2. Devemos confiar plenamente em Deus. Conforme a análise de Tiago acerca do processo da tentação (Tiago 1:13-15), Satanás aproveitou os desejos de Jesus na tentativa de abalar a confiança deste em Deus. Ao propor que Jesus matasse a fome transformando as pedras em pão, o diabo ofereceu uma solução para uma necessidade aparentemente esquecida pelo Pai. Ao oferecer entregar os reinos do mundo em troca da adoração de Cristo, o diabo ofereceu um atalho por meio do qual Jesus poderia ter a coroa sem enfrentar a tortura da crucificação exigida pelo Pai. Assim, Satanás tentou explorar os desejos legítimos de Cristo, buscando levá-lo a cometer a iniqüidade, mas em todos os casos Cristo discerniu o engano. Embora as propostas do diabo soassem inócuas, benéficas e mesmo respaldadas na Bíblia (como quando citou as Escrituras para convencer a Cristo a pular do templo), elas na verdade não passavam de ataques insidiosos à bondade e à credibilidade de Deus. (Veja Gênesis 3:1-5. “Quando o diabo mais se mostra nobre e razoável, é aí que ele é mais perigoso” – Dorothy Sayers.) Ter-se entregado às propostas de Satanás teria sido um ato de iniqüidade e descrença. Portanto, Cristo morreria de fome antes de abandonar a vontade de Deus. Ele não desculparia o pecado raciocinando que os fins justificam os meios. Ele não agiria presunçosamente. Também não engoliria ingenuamente uma proposta baseada numa distorção das Escrituras. Antes, ele guardaria “firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel” (Hebreus 10:23). Na tentação devemos nos segurar firmemente à nossa fé e confiar em Deus, pois “esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (1 João 5:4).

3. Devemos ser guiados pela pelavra de Deus. Jesus não resistiu ao diabo utilizando o seu poder miraculoso ou invocando alguma revelação especial dada a ele e a nenhum outro. Antes, ele se manteve firme, abraçando a palavra de Deus: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmos 119:11). Por meio da palavra de Deus, podemos saber como ele deseja que vivamos quando tentados. Isso nos encoraja bastante, pois nos mostra que a resistência está ao nosso alcance. Se permitirmos que a palavra de Deus habite em nós, seremos fortalecidos em nosso homem interior com o poder necessário para vencer o malvado (1 João 2:14). “Porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4). Observe os versículos que Cristo citou em resposta às seduções do diabo. “Não só de pão viverá o homem” está em Deuteronômio 8:3. “Não tentarás o Senhor, teu Deus” está em Deuteronômio 6:16. E “Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto” está em Deuteronômio 6:13. Todas as três são citações de uma parte das Escrituras que se inicia com estas palavras: “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força” (Deuteronômio 6:4-5). Cristo mais tarde chamou isso: “O principal de todos os mandamentos” (Marcos 12:29). No deserto, Cristo demonstrou que, embora atacado por severas desvantagens, tanto físicas quanto emocionais, mesmo a maior das tentações pode ser vencida se estivermos completamente comprometidos com Deus e com a sua causa. Que o exemplo de resistência de Cristo sempre nos guie.

–por Kenny Chumbley

sexta-feira, 4 de junho de 2010

apenas adore e receba o melhor do senhor neste fim de semana! que Deus te guie.

Louvar-te é bem mais do que eu mereço,
Adorar-te é mais profundo do que eu pensei,
Servir-te é tudo o que eu espero
O que mais quero é estar mais junto a ti.

Derramar perante Ti os meus anseios
A minha oferta nesta hora é a verdade,
E te mostrar os meus pequenos sonhos,
Ah Senhor, como eu dependo de ti...

Louvar-te é bem mais do que eu mereço,
Adorar-te mais profundo do que eu pensei,
Servir-te é tudo o que eu espero
O que mais quero é estar mais junto a ti.

Derramar perante Ti os meus anseios
A minha oferta nesta hora é esta música pai,
E te mostrar os meus maiores sonhos,
Ah Senhor, como eu dependo de ti...

Para me curar,
Para me ensinar
O caminho que devo seguir.
Podes me usar Senhor,
Como Tu bem queres...
Abro o meu coração

terça-feira, 1 de junho de 2010

Tire suas duvidas sobre o arrebatamento, buscar sua igreja....

Uma pesquisa recente da revista U.S. News & World Report descobriu que 61 por cento dos americanos acreditam que Jesus Cristo vai voltar à terra, e 44 por cento acreditam no Arrebatamento da Igreja.[1] O que é o Arrebatamento? Com tamanha certeza popular, por que há tanta confusão interpretativa a respeito desses acontecimentos? A doutrina do Arrebatamento pré-tribulacional é um ensino bíblico importante não apenas por oferecer percepções interessantes sobre o futuro, mas também porque oferece aos crentes motivação para a vida contemporânea.

O Arrebatamento pré-tribulacional ensina que, antes do período de sete anos conhecido como Tribulação, todos os membros do corpo de Cristo (tanto os vivos quanto os mortos) serão arrebatados nos ares para o encontro com Jesus Cristo e depois serão levados ao céu.

O ensino do Arrebatamento é mais claramente apresentado em 1 Tessalonicenses 4.13-18. Nessa passagem Paulo informa seus leitores de que os crentes que estiverem vivos por ocasião do Arrebatamento serão reunidos aos que morreram em Cristo antes deles. No versículo 17 a palavra "arrebatados" traduz a palavra grega harpazo, que significa "dominar por meio de força" ou "capturar". Essa palavra é usada 14 vezes no Novo Testamento Grego de várias maneiras diferentes.

Ocasionalmente o Novo Testamento usa harpazo com o sentido de "roubar", "arrastar" ou "carregar para longe" (Mateus 12.29; João 10.12). Também pode ser usada com o sentido de "levar embora com uso de força" (João 6.15; 10.28-29; Atos 23.10; Judas 23). No entanto, para nossos propósitos, um terceiro uso é mais significativo. Diz respeito ao Espírito Santo levando alguém de um lugar para outro. Encontramos esse uso em quatro ocorrências (Atos 8.39; 2 Coríntios 12.2, 4; 1 Tessalonicenses 4.17; Apocalipse 12.5).[2]

Esse último uso é ilustrado em Atos 8.39, quando Filipe, ao completar o batismo do oficial etíope, é "arrebatado" e divinamente transportado do deserto até a cidade costeira de Azoto. De modo semelhante, a Igreja será, num momento, levada da terra ao céu. Não deve-se estranhar, portanto, que um autor contemporâneo tenha chamado esse evento peculiar de "O Grande Seqüestro".[...]

Por que a doutrina da iminência é significativa para o Arrebatamento?

O ensino neo-testamentário de que Cristo poderia voltar a qualquer momento e arrebatar a Sua Igreja sem sinais ou advertências prévios (i.e. iminência) é um argumento tão poderoso em favor do pré-tribulacionismo que se tornou uma das doutrinas mais ferozmente atacadas pelos oponentes da posição pré-tribulacionista. Eles percebem que, se o Novo Testamento de fato ensinar a iminência, um arrebatametno pré-tribulacional estará praticamente assegurado.

Definição de Iminência

Qual é a definição bíblica de iminência? O Dr. Renald Showers define e descreve iminência da seguinte maneira:

1) Um acontecimento iminente é aquele que está sempre "pairando acima de alguém, constantemente prestes a vir sobre ou a alcançar alguém; próximo quanto à sua ocorrência" (The Oxford English Dictionary, 1901, V. 66). Assim, a iminência traz consigo o sentido de que algo pode acontecer a qualquer momento. Outras coisas podem acontecer antes do evento iminente, mas nada precisa acontecer antes que ele aconteça. Se alguma coisa precisa acontecer antes de determinado evento ocorrer, tal evento não é iminente. Em outras palavras, a necessidade de que algo ocorra antes destrói o conceito de iminência.

2) Uma vez que é impossível saber exatamente quando ocorrerá um evento iminente, não se pode contar com a passagem de determinado período de tempo antes que tal evento iminente ocorra. À luz disso, é preciso estar sempre preparado para que ele aconteça a qualquer momento.

3) Não se pode legitimamente estabelecer direta ou implicitamente uma data para sua ocorrência. Assim que alguém marca uma data para um evento iminente, destrói o conceito de iminência, porque ao fazer isso afirma que um determinado intervalo de tempo deve transcorrer antes que tal evento ocorra. Uma data específica para um evento é contrária ao conceito de que tal evento possa ocorrer a qualquer momento.

4) É impossível dizer legitimamente que um evento iminente vai acontecer em breve. A expressão "em breve" implica que tal evento precisa ocorrer "dentro de um tempo pequeno (depois de um ponto específico designado ou implícito)". Em termos de contraste, um evento iminente pode ocorrer dentro de um pequeno intervalo de tempo, mas não precisa fazê-lo para ser iminente. Espero que você perceba, agora, que "iminente" não é igual a "em breve".[3]

O fato de que Jesus Cristo pode voltar a qualquer momento, mesmo que não necessariamente em breve, e sem a necessidade de qualquer sinal anterior à Sua vinda, requer o tipo de iminência ensinado pela posição pré-tribulacionista e é um forte apoio ao pré-tribulacionismo.

Que passagens do Novo Testamento ensinam essa verdade? Os versículos que afirmam a volta de Cristo a qualquer momento, sem aviso prévio, e aqueles que instruem os crentes a esperar e aguardar a vinda do Senhor ensinam a doutrina da iminência.

Observem-se as seguintes passagens do Novo Testamento:

• 1 Coríntios 1.7 – "...aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo".

• 1 Coríntios 16.22 – "Maranata!"

• Filipenses 3.20 – "Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo".

• Filipenses 4.5 – "Perto está o Senhor".

• 1 Tessalonicenses 1.10 – "e para aguardardes dos céus o Seu Filho...".

• 1 Tessalonicenses 4.15-18 – "Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras".

• 1 Tessalonicenses 5.6 – "Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios".

• 1 Timóteo 6.14 – "que guardes o mandato imaculado, irrepreensível, até à manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo".

• Tito 2.13 – "aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus".

• Hebreus 9.28 – "assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação".

• Tiago 5.7-9 – "Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor... pois a vinda do Senhor está próxima... Eis que o Juiz está às portas".

• 1 Pedro 1.13 – "Por isso,... sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo".

• Judas 21 – "guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna".

• Apocalipse 3.11; 22.7, 12, 20 – "Eis que venho sem demora!"

• Apocalipse 22.17, 20 – "O Espírito e a Noiva dizem: Vem. Aquele que ouve diga: Vem.

Aquele que dá testemunho destas cousas diz: Certamente venho sem demora. Amém. Vem, Senhor Jesus!"

Ao considerarmos as passagens mencionadas acima, observamos que Cristo pode voltar a qualquer momento, que o Arrebatamento é de fato iminente. Somente o pré-tribulacionismo pode dar um sentido pleno, literal, a tal acontecimento iminente. Outras posições sobre o Arrebatamento precisam redefinir iminência de maneira mais elástica do que indica o Novo Testamento. O Dr. John Walvoord declara: "A exortação a que aguardemos a ‘manifestação da glória’ de Cristo para os Seus (Tito 2.13) perde seu significado se a Tribulação tiver que ocorrer antes. Fosse esse o caso, os crentes deveriam observar os sinais."[4] Se a posição pré-tribulacionista sobre a iminência não for aceita, então haverá sentido em procurar identificar os eventos relacionados à Tribulação (i.e., o Anticristo, as duas testemunhas, etc.) e não em esperar o próprio Cristo. O Novo Testamento, todavia, como demonstrado acima, uniformemente instrui a Igreja a olhar para a volta de Cristo, ao passo que os santos da Tribulação são exortados a observar os sinais.

A exortação neo-testamentária a que nos consolemos mutuamente pela volta de Cristo (João 14.1; 1 Tessalonicenses 4.18) não mais teria sentido se os crentes tivessem, primeiro, que passar por qualquer porção da Tribulação. Em vez disso, o consolo teria que esperar a passagem pelos eventos da Tribulação. Não! A Igreja recebeu uma "bendita esperança", em parte porque a volta do Senhor é, de fato, iminente.

A Igreja primitiva tinha uma saudação especial que os crentes só usavam entre si, conforme registrado em 1 Coríntios 16.22: a palavra "Maranata!" Esta palavra é constituída de três termos aramaicos: Mar ("Senhor"), ana ("nosso"), e tha ("vem"), significando, assim, "Vem, nosso Senhor!" Como outras passagens do Novo Testamento, "Maranata" só faz sentido se uma vinda iminente, ou seja, a qualquer momento, for pressuposta. Isso também serve de apoio à posição pré-tribulacionista.

Não foi à toa que os antigos cristãos cunharam essa saudação peculiar que reflete uma ansiosa expectativa pelo cumprimento dessa bendita esperança como uma presença real em suas vidas cotidianas. A vida da Igreja em nossos dias só teria a melhorar se "Maranata" voltasse a ser uma saudação sincera nos lábios de crentes que vivem com esta expectativa. Maranata! (Thomas Ice e Timothy Demy - http://www.chamada.com.br)

Jeffrey L. Sheler, “The Christmas Covenant”. U.S. News & World Report, 19 de dezembro de 1994, pp. 62, 64.
Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, “harpazo”, editado por Colin Brown. Vida Nova, São Paulo, 1982. Volume 1, p. 239-243.
Ibid., pp. 127-128.
Walvoord, The Rapture Question, p. 273.
Extraído do livro A Verdade Sobre O Arrebatamento